No ano em que completa 55 anos, a Universidade de Brasília retorna às origens da proposta de Darcy Ribeiro e Anísio Teixeira com o objetivo de traçar as perspectivas educacionais da instituição para as próximas décadas.

 

A ciência, num país desigual como o Brasil, deve pensar soluções criativas para os problemas e os desafios nacionais. Para Darcy e Anísio, a excelência do conhecimento precisa estar sempre atrelada à vivência cotidiana da arte, elevando a influência das referências culturais na formação de novos profissionais e intelectuais. A Universidade de Brasília nasceu com este espírito: conjugar o rigor da ciência à ousadia da arte.

 

Essa noção está sintetizada também na obra do artista plástico e ex-professor da UnB Athos Bulcão. Em formas geométricas, Athos associa beleza poética à precisão do método. Por isso, os azulejos do Instituto de Artes (IdA), criados por ele, compõem o símbolo da campanha UnB 55 Anos – Ciência e Ousadia.

 

 

 

 

Bem-vindos, estudantes, a uma das principais referências acadêmicas do país. Desfrute de todo patrimônio humano e intelectual que a Universidade lhe oferecerá nos próximos anos. E aplique seu talento na construção de um país melhor.

 

Vi ali, claramente, que a UnB é, sobretudo, o compromisso de esforçar-se, permanentemente, incansavelmente, para ser a universidade necessária. Aquela que, ademais de construir-se a si mesma como deve ser, a casa da cultura brasileira, se faça capaz de ajudar o Brasil a formular o projeto de si próprio: a Nação de seu povo, ordenada e regida por sua vontade soberana, como o quadro dentro do qual ele há de conviver e trabalhar para si próprio.

 

 Darcy Ribeiro em UnB: invenção e descaminho, 1978, p. 41.